Etapas do ramo Escoteiro

É, os nomes já foram: etapas de classe, distintivos de classe, etapas de formação, adestramento, e hoje parece que é chamado como competências. Mas, o importante é que sejam sabedorias úteis no dia-a-dia do jovem, e quando cada jovem esteja capacitado à um conjunto delas, passe a ter o direito de portar um pedacinho de pano bordado no seu uniforme. Isso é o que reza o Método Escoteiro -- "habilidades e técnicas úteis, estimuladas por um sistema de distintivos".

distintivo de Promessa (Noviço)

distintivo de 2ª Classe

distintivo de 1ª Classe

 

Acreditamos que uma primeira listagem de requisitos para os distintivos de classe do escotismo Brasileiro, tenha sido apresentada no livro "Guia do Escoteiro", escrito pelo Almirante Benjamin Sodré (Velho Lobo), no ano de 1925.

Foi utilizada por um longo período, até quando surgiu outra literatura sobre o assunto, ilustrando outros requisitos para cada classe, após um período de dezesseis anos.

Em 8 de janeiro de 1941, começou a circular uma nova literatura, foi o livro "Para Ser Escoteiro", de Francisco Floriano de Paula, provavelmente apenas para os escoteiros mineiros. Esgotada essa edição, o autor passou os direitos autorais à UEB, que fez mais duas edições, uma em 1953 e outra em 1957.

Já em 1961, o autor foi convidado a dividir o trabalho em provas de classe, passando a a ser três livros, o "Para Ser Escoteiro Noviço", "Para ser Escoteiro de 2ª Classe" e "Para ser Escoteiro de 1ª Classe", utilizados de 1961 até 1991, por trinta anos portanto.


clique para ver requisitos

A primeira edição do livro de Noviço ocorreu em 1961, e para os demais níveis devem ter ocorrido no ano de 1963. Essas "provas de classe", com diziamos na época, até então valiam tanto para os Escoteiros como para os Escoteiros Sêniores, e davam direito aos mesmo distintivos: Promessa, 2ª Classe e 1ª Classe.

 

Para ser Escoteiro Noviço


clique para baixar esse livro

Para ser Escoteiro 2ª Classe


clique para baixar esse livro

Para ser Escoteiro 1ª Classe


clique para ver esse livro

 

Posteriormente, em 1991?, houve um curto período (de um ou dois anos) com umas etapas de classe do tipo de múltipla escolha, de autoria do Luiz Paulo Carneiro Maia e equipe da UEB/RJ. Mas, desta vez foi publicada  apenas uma lista de tarefas. Para cada distintivo (Noviço, 2ª Classe e 1ª Classe) existia um conjunto de cinco tarefas para cada item, sendo que o jovem escolhia três delas para executar.
Na época não foi preparada nenhuma literatura de apoio. Então, preparei para a minha Tropa, uma apostila com as etapas de Noviço e o adestramento necessário para esse nível (clique para ver).
Os itens desse para Noviço eram: 1) Escotismo; 2) Cidadania; 3) Saúde; 4) Pioneiria; 5) Modalidade; 6) Religião e 7) Estágio.
Não tenho ou ainda não encontrei as etapas de segunda e primeira classe desse período.

Depois, no ano de 1993 foram editados três livros, os "Guia do Escoteiro Noviço", Guia do Escoteiro 2ª Classe" e "Guia do Escoteiro 1ª Classe", escritos por Luiz Paulo Carneiro Maia e Ivan Bordallo Monteiro.

Guia do Escoteiro Noviço


clique para ver requisitos

Guia do Escoteiro 2ª Classe


clique para ver requisitos

Guia do Escoteiro 1ª Classe


clique para ver requisitos

 

Em agosto de 1998, ocorreu a publicação de um novo livro e uma nova mudança, e como dizia o prefácio da obra -- "para cobrir o período que nos separa da futura implantação de guias e manuais que estão sendo elaborados em conformidade com o MACPRO".

Ocorreu a junção dos três níveis de etapas num único livro, com 218 páginas, com o nome de "Guia Escoteiro".

 

Essa obra foi compilada e redigidas por Marcos Carvalho e Marcel Hugo, com apoio de escotistas da Região de Santa Catarina.

Guia Escoteiro


clique para ver requisitos

Apesar das mudanças nos requisitos, até o final de 2002, a União dos Escoteiros do Brasil manteve os mesmos distintivos de: Promessa, 2ª Classe e 1ª Classe ilustrados no topo desta página, que mantinham semelhança com os distitivos originais de Baden-Powell.

 

 



Já no início de 2003 ocorreu uma mudança bem mais radical, foram criados distintivos novos e mais modernos, Não mais em três níveis, agora em quatro níveis, recebendo o nome de: Pistas, Trilha, Rumo, e Travessia.

 

distintivo de Pista

distintivo de Trilha

 

 

 

 

 

distintivo de Rumo

distintivo de Travessia

Mas, nessa época foram lançados os distintivos e apenas uma extensa lista com 195 objetivos educacionais, a grande maioria sem nenhum relacionamento com tarefas práticas ou atraentes aos jovens, característica clara de todas as alterações anteriores. Tudo passou a ficar muito subjetivo e muito pedagógico. O sistema recebeu muitas críticas e adaptações por parte de várias unidades locais, que acabaram por criar suas listas de requisitos, seus próprios livros e apostilas.

Mais recentemente em 2010, ocorreu outra mudança. Foram mantidos os quatro distintivos de:  Pistas, Trilha, Rumo, e Travessia. Mas, alteraram-se os requisitos, sendo listadas tarefas bem práticas, já relacionadas com os objetivos educacionais. E já lançaram junto a literatura correspondente, sendo um livro para os dois primeiros níveis e outro para os dois seguintes.
Eu me permito dizer que quando tiveram que fazer a coisa funcionar, tiveram que simplificar, assim de um total de 195 objetivos educacionais que havia no sistema anterior, mudou-se para um total com apenas 74 objetivos educacionais e abrangendo -- tarefas.

:] Página criada em 23/08/2011.