Minha Vida Escoteira

Minha Vida Escoteira Juvenil

LOBINHO de 01/06/197 a 17/05/1969

Com a idade de 9 anos entrei para a Alcateia do 68ºSP GE Guaianazes em junho de 1967 já com nove anos de idade.

Minha Akelá era a chefe Dorothéia Kolmus, a Káa era a Erika Assunção (esposa do chefe Dito, da tropa de escoteiros), a Baghera era a chefe Sueli dos Santos Domingues e a Chill era a chefe Solange dos Santos Domingues.

Apenas estas duas últimas chefes ainda estão entre nós e possuem páginas no FaceBook: Sueli Domingues e Solange Domingues  (Sol) .

Distintivo de numeral do Grupo na época

 

Distintivo de Pata Tenra (boné)

Fiz a promessa no sábado dia 09/09/1967, o Chefe de Grupo da época era o chefe Anatoly Phillipe Bojco. Talvez um lobinho da época se lembre da minha Promessa Alfeu Domingues.

Entrei para a matilha branca, me lembro que fui nomeado como segundo dessa Matilha, mas não tenho certificado, nem a data. Fui apenas lobinho de 1ª estrela com duas especialidades: Trabalhador Doméstico e de Colecionador, acho que era de chaveiros.

Das atividades que lembro ter participado do 1º Rally de Lobinhos e 2º Rally de lobinhos de São Bernardo do Campo e visitei o 1º e o 2º Acampamento Demonstrativo de SBC.

16 a 18/08//1698 (visita)

1º Acampamento Demonstrativo de SBC

No Paço Municipal lago ainda não construído

05/10/1968

1 Rally de Lobinhos do ABCD

Na Chácara da Ford

Páscoa Escoteira do ABC

Domingo, 27/04/1969

Na sede do GE João Ramalho

2º Rally de SBC

Domingo, 18/05/1969

 

 

 

Minha passagem para o ramo escoteiro creio que foi no mínimo curiosa.

Meu aniversário de onze anos foi dia 12/04/1969, na época, eu já participava das reuniões das duas seções: Alcateia e Tropa de Escoteiro. No dia 27 de abril aconteceu a Páscoa Escoteira, eu fui como lobinho.

No sábado dia 10/05/1969 houve uma competição de semáfora entre os grupos de São Bernardo Guaianazes, Caoquira e Jaguaretê, mas como eu estava quase passando para escoteiro já estava na equipe de transmissão dos escoteiros.

A cerimônia da passagem foi no próximo sábado dia 17/05/1969, porém, no dia seguinte, domingo 18/05/1969, aconteceu o 2º Rally de Lobinhos de SBC, e eu era o Peter Pan da esquete, estava lá, como lobinho.

Então, só depois disto que passei definitivamente para Escoteiro, pois já na semana seguinte, sábado 24 e domingo 25/05/1969 aconteceu o Acampamento do 17º aniversário do GE João Ramalho de São Caetano do Sul, onde fui como escoteiro.

ESCOTEIRO de 17/05/1969 a 17/05/1973

Passei para escoteiro em 17/05/1969. Fiz minha promessa em algum dia do mês de agosto de 1969. Recebi a 2ª Classe em 26/09/1971, durante uma excursão da Tropa ao zoológico. No dia 03/10/1971 recebi as especialidades de Guia e Leitor.

Em 10/08/1970 fui nomeado submonitor da Patrulha Castor, e em 26/02/1971 fui nomeado monitor da Patrulha Cavalo.

Acampamento do 17º aniversário
do GE João Ramalho

Sab e Dom 24 e 25/05/1969

6 e 17/08/1969

2ª Acamp. Demonstrativo de SBC

Acampamento do 17º aniversário
do GE Almirante Barroso

Sab e Dom 22 e 23/11/1969

Fogo de Conselho em 16/05/1970

Fogo de Conselho em 16/05/1970

17º acamp.de aniversário do GEG

No MESC

SÊNIOR de 17/05/1973 a 01/02/1975

Passei para escoteiro sênior de maio/1973 e fiquei até fevereiro/1975, uma semana antes do Carnaval, quando toda a patrulha resolveu ajudar como assistentes de chefia, apesar de termos idade perto de 17 anos.

Fui o Monitor fundador da Patrulha Himalaia, do 68ºSP Grupo Escoteiro Guaianazes, pois a patrulha anterior Caverna do Diabo estava desativada fazia algum tempo.

A Tropa era chefiada pelo Heleno Ordonho do Nascimento. Depois de alguns meses, ficamos cerca de um ano sem chefe apenas uma patrulha de cinco jovens. E por uns dois meses, apareceu o chefe Juan, mas logo sumiu.

Nesse grande período sem chefia, eu como monitor buscava atividades para nossa Patrulha participar. Uma vez ficamos cinco finais de semanas seguidos acampando. Se alguma tropa escoteira ou Alcateia da cidade ia acampar, e eu ajeitava para nós irmos também para ajudar em algo e também acamparmos. Nossa diversão era cuidar do material que voltava para sede pronto para outras atividades e principalmente lavar panelas, que estavam sempre brilhando. Combinávamos por telefone durante a semana, passávamos na sede no sábado bem cedo, colocávamos todos os materiais nas mochilas, descíamos à pé a ladeira da Av. Imperatriz Leopoldina para pegar o ônibus para ir ao local, passando antes num mercadinho para comprar a intendência.

Fiz duas jornadas de Primeira Classe. A primeira muito mal orientada foi reprovada pelo Comissário Distrital. Já a segunda foi muito boa e aprovada, entretanto o Comissário Distrital demorou mais de seis meses para devolver o caderno de jornada aprovado. Essa devolução ocorreu exatamente no dia de apresentação minha como assistente do chefe de Escoteiros. Aí nem houve uma entrega do cobiçado e merecido distintivo de 1ª Classe.

 
Página criada em 13/09/2018.