Raridades literárias

Raridades literárias

"Os Mandamentos do Escoteiro",
de autoria de Benevenuto Cellini (aquele do Rataplã).
Não tínhamos nenhuma edição deste livro e agora já temos duas:
a) Uma de 1926, escrita com o português da época (não se preocupe com a grafia, mas sim o som das palavras).
b) E outra de 2010, do CCME (onde você ainda compra em papel), num português de hoje.
Entretanto, ambas falam em doze artigos da Lei Escoteira. Que era padrão da época pela ABE Associação Brasileira de Escoteiros.
 

Os Mandamentos do Escoteiro
Benevenuto Cellini – edição de 1926, da Typografia do Patronato, do Rio de Janeiro

                Na apresentação do livro “Os Mandamentos do Escoteiro”, o autor através de contos narra os doze artigos do Código do Escoteiro que foram definidos pela Associação Brasileira de Escoteiros (A.B.E.) em sua fundação em novembro de 1914 onde o mesmo foi destacado dirigente e também o autor de outros livros e canções escoteiras no início da implantação do escotismo no Brasil, destacando os nossos: “Hino Alerta” e “Ra-Ta-Plan do Mar” (P.O.R. 2013: Regras 147 e 149).
                Cabe uma explicação sobre os doze artigos romanceados pelo Jaboty-êtê (Benevenuto Cellini) uma vez que atualmente conhecemos o “Código do Escoteiro” como “Lei Escoteira” e sendo com dez artigos.
                Contextualizando o ano de lançamento do livro encontramos diversas associações escoteiras buscando a unificação do escotismo nacional em torno da recém fundada União dos Escoteiros do Brasil em novembro de 1924 e a maior entidade de caráter nacional à época, a A.B.E. com sede em São Paulo entre outras entidades independentes e sem expressão.
                Em 1925, na primeira edição do “Guia do Escoteiro” do Velho Lobo (Benjamim Sodré) consta a apresentação de duas variantes do “Código do Escoteiro”, sendo a versão da A.B.E. com 12 artigos e da Associação dos Escoteiros Católicos do Brasil com 10 artigos e breves comentários de cada artigo apenas do código da A.B.E. O texto da versão dos escoteiros católicos (1917) a despeito de possuir 10 artigos, não tem o mesmo conjunto de palavras da atual Regra 008 do P.O.R (2013), em uso pelos escoteiros do Brasil.
                A definição atual do texto dos 10 artigos como utilizamos atualmente somente foram definidos com a terceira alteração estatutária aprovada pelo Conselho Diretor da União dos Escoteiros do Brasil em 1928 que substituiu o termo “Código do Escoteiro” por “Lei Escoteira”.
                A essência da Lei Escoteira seja 9, 10 ou 12 artigos e da Promessa Escoteira representam os princípios do escotismo que são a base moral do nosso movimento e deve se ajustar aos progressivos graus de maturidade de nossos praticantes e deve corresponder sempre ao nosso propósito que foi concebido pelo fundador Baden-Powell. Que as 129 páginas “d’Os Mandamentos do Escoteiro” possam inspirar, contextualizando o tempo e o lugar nosso trabalho em manter acesa a chama do escotismo para um maior número de crianças, adolescentes e jovens.Boa leitura e Sempre Alerta para Servir!

agradecemos ao chefe ALEXANDRE BANCHI
pelo emprestimo do livro para ser escaneado

Os Mandamentos do Escoteiro
Benevenuto Cellini – edição de 2010, do CCME Centro Cultural do Movimento Escoteiro, do Rio de Janeiro

                Nesta nova edição temos a mesma obra, já em português .recente, mantendo-se o contexto do texto original.
                 Esta edição ainda está disponível para a venda em papel no CCME.

 

agradecemos ao chefe Mauricio Moutinho,

pelo envio do PDF 

Olavo Bilac e o Escotismo
Olavo Bilac – edição de 1928, impresso nas Officinas Gráphicas do "Jornal do Brasil", no Rio de Janeiro
 

Ilustra trecho da palestra proferida pelo autor numa Conferência realizada em .26 de agosto de 1916, na cidade de Belo Horizonte/MG.

                 clique para baixar o PDF em nosso link.

 

agradecemos ao chefe Maurício Moutinho

pelo envio do .PDF

 

JB Queres ser um Chefe Escoteiro
Edição de 1930, impresso nas Officinas Gráphicas do "Jornal do Brasil", no Rio de Janeiro.
para a Federação dos Escoteiros do Brasil.

Número 2 da coleção Escotismo do JB.
Na folha 2 consta uma dedicatória com autógrafo do Chefe David Barros.
 

Este livro ilustra o Regulamento da Escola de Instrutores de Escotismo.

                 clique para baixar o PDF em nosso link.

 

agradecemos ao chefe Fábio Neiva

pelo envio das imagens para montarmos o .PDF

 

Oração de AffonsoPenna
edição de 1925, impresso na Cia Melhoramentos de São Paulo, na cidade de São Paulo,
 

Ilustra a oração proferida pelo autor, então Ministro da Justiça, ao ser empossado como presidente da UEB, em setembro de 1925.
Observe na páfina 12 a assinatura do fundador, quando ainda não assinava como "Lord of Gilwell".
Note que na pág.14 tem várias informações históricas sobre  Fundação da U.E.B.

                 clique para baixar o PDF em nosso link.

 

agradecemos ao chefe Fábio Neiva

pelo envio das imagens para montarmos o .PDF.

 
;
 
 
Página criada em 22/04/2019.
;