Porque admitir um escoteiro

O original deste artigo é da revista Forbes, e foi retratado em italiano veja no seguinte endereço:

http://it.aleteia.org/2016/09/16/10-ragioni-assumere-scout-rivista-forbes/?ru=7a160837de23b37087bdf241b6d4bf17

Sociedade

 "Porquê contratar uma pessoa que tenha sido escoteira?

A revista Forbes desenvolveu um artigo onde numera quais são os 10 pontos fortes ao contratar um escoteiro.

Da mesma forma que um "proficiency" (exame de proficiência) garante um alto nível de Inglês, a leitura de um currículo de uma pessoa que tenha sido escoteira garante que tem algumas competências-chave para o mercado de trabalho.

Estes são os 10 pontos fortes que vai encontrar se contratar alguém que tenha sido escoteiro. E eles não têm nada a ver com habilidades comerciais associadas à antiquíssima e errónea imagem das crianças uniformizadas a venderem bolachas.

Sabe trabalhar em equipe.

Pode chegar a ter 15 anos de experiência de trabalho em equipe, sempre com respeito pelos outros como valor transversal. Montar uma barraca ou organizar um acampamento de verão para 200 crianças voluntariamente. A aprendizagem no escutismo é, por natureza, cooperativa e por projetos.

É criativo. 

Levou muitos anos para encontrar soluções criativas para situações adversas. Teve de improvisar tetos durante tempestades repentinas, inventar um jogo de Vikings que motiva 100 crianças durante 15 dias, ou montar uma campanha de angariação de fundos para cobrir os custos de um campo de refugiados na Síria.

Respeita os seus valores e a sua palavra.

Está habituado a programar e realizar atividades baseadas nos valores escotistas que têm um enquadramento bem definido (algo como o "código de ética" a que nos referimos no mundo profissional). Isto gera a necessidade de acreditar nos projetos de que faz parte e alinhá-los com os seus interesses e paixões. A verdade, nobreza, justiça, solidariedade e respeito pela palavra dada são valores inabaláveis dentro deste quadro de ação.

Sabe liderar e ser liderado.

Desde os 6 anos que tem prática em tomar decisões e a trabalhar em vários projetos ao mesmo tempo; em alguns dos quais foi líder e em outros foi liderado pelos seus companheiros. Quando lidera, fará com consenso, confiança, colocando-se na pele dos outros e sendo consistente com suas decisões. Quando é liderado, trabalha em conjunto com respeito, promovendo o consenso e a coesão.

É compreensivo.

Como numa empresa, num grupo de escoteiros convivem todos os tipos de crianças (meninos e meninas), com diferentes idades, habilidades e interesses. A empatia desempenha um papel essencial para a coexistência e ajuda mútua. Um escoteiro tem conhecimento de que nem todos têm o mesmo peso na mochila, mas ele é distribuído de acordo com as capacidades de cada um, ou a melhor excursão não é a que nos leva mais alto, mas sim a que está ao alcance de todo o grupo.

Aprecia o esforço.

Desde muito cedo que as atividades da vida de um escoteiro, intimamente ligadas à natureza, têm a intenção de fazê-lo aprender a cuidar de si mesmo, para se superar mesmo quando pensa que não tem forças para dar mais um passo, a sorrir para as dificuldades e esforçar-se para conseguir o que quer.

Sabe definir objetivos e avaliá-los.

Desde os 6 anos de idade que tem prática no estabelecimento de metas, tanto pessoais como em equipe e em seguida a auto avaliar e receber a avaliação dos outros. O “feedback’ é construtivo é, portanto, uma prática que escoteiros dominam perfeitamente quando iniciam a sua vida profissional.

É generoso.

"Dar" e "partilhar" são os verbos mais presentes na vida de um escoteiro. Água do seu cantil não é a sua, mas de quem dela necessitar, e um dirigente pode chegar a gastar 1.000 horas por ano como voluntário, dedicando-se a educar crianças a serem pessoas melhores.

Luta contra a injustiça. 

Com o slogan "deixar o mundo melhor do que o encontrou," a pedagogia escotista baseia-se na ideia de que as crianças são capazes de compreender e praticar o seu potencial para melhorar o seu meio ambiente, resolvendo com bravura os desafios que têm de enfrentar, sem desviar o olhar das injustiças e fazendo algo para mudá-las.

É uma pessoa de "recursos".

Tem vasta experiência a dinamizar reuniões, inventar um jogo para resolver um conflito, falar em público ou a encontrar a empresa mais barata para alugar um equipamento. É aventureiro e dinâmico, e está acostumado a resolver problemas de diferentes dimensões.

Não são essas habilidades que todos desejamos em pessoas que integram as nossas equipes?

- Se você foi escoteiro ou dirigente, coloca no teu CV e a aborda o tema nas tuas entrevistas de trabalho.

- Se você está à procura de talentos, não perca de vista as vantagens competitivas de um escoteiro.

- Se você é pai ou mãe, e quer criar seus filhos com habilidades tão essenciais: inscreva os seus filhos nos escoteiros, mesmo que isso signifique ter de acordar cedo aos sábados.

* A fidelidade destes princípios é proporcional ao número de anos como um escoteiro e é significativamente maior se tiver sido dirigente (educador).

Texto de: Ana Sáenz de Miera. Tradução de: Lara Serafim.
Fotografias de: Revista Forbes."